MENU

Carrinho 0 Favoritos 0
Loja Virtual
Kits Refeição Proteínas Carboidratos Legumes Veganos Sopas Salgados/Crepes Snacks e Doces
A FeelJoy
Quem somos No que acreditamos Tecnologia Parceiros Fornecedores
Depoimentos Na mídia Responsabilidade Social
Programas Dúvidas Frequentes Blog Contato Rio Grande do Sul
51 3028.2251 51 99512.5712
São Paulo
11 3032-4323 11 99320.9250

Já é usuário?

Login com Facebook
Esqueceu sua senha?

Não possui cadastro? Então

CADASTRE-SE
ou
|
0
R$0,00 0
  • Seu carrinho está vazio!

Programas Dúvidas Frequentes Blog Contato

Seis alimentos funcionais que são fundamentais para a saúde do atleta

Seis alimentos funcionais que são fundamentais para a saúde do atleta
Por Giórgia Bazotti e Michele Valenti

Musculação

Todo atleta tem uma rotina de treinos muito pesada, independente da modalidade. Para aguentar, é necessário que a saúde esteja em dia. Além de inúmeros cuidados que se deve ter, a alimentação é fundamental para que o organismo reaja da maneira correta e os objetivos sejam alcançados. A inclusão de alguns alimentos funcionais na dieta do atleta pode trazer benefícios nutricionais como a melhora do desempenho e a prevenção ou redução de consequências relacionadas a prática de exercícios intensos.

Nós conversamos com a nutricionista Michele Valenti para saber mais sobre esses alimentos funcionais que são realmente importantes para a saúde e o bem estar do atleta.

- Compostos fenólicos: Os ácidos fenólicos, flavonóides e taninos são considerados os principais compostos fenólicos presentes na maçã, mirtilo, amora, cranberry, uva roxa, cebola, chá-preto, azeite de oliva e outros. A quercetina é um flavonóide responsável por melhorar o desempenho esportivo, pois aumenta a resistência no treinamento físico. O consumo de frutas e verduras aumentam a ingestão de antioxidantes naturais.

- Especiarias e ervas aromáticas: Orégano, louro, manjericão, açafrão, páprica, alecrim, salvia, tomilho, cravo-da-índia, mostarda, canela e erva-doce. Esses temperos possuem propriedades antioxidantes, pois apresentam em sua composição compostos fenólicos, compostos nitrogenados, carotenóides e ácido ascórbico. Estudos sugerem que esses compostos são essenciais na proteção do dano oxidativo, auxiliando o organismo na prevenção de doenças inflamatórias.

- Chá verde: Bebida feita a partir da infusão das folhas e brotos da planta Camellia sinensis que possuem propriedade terapêutica na prevenção de muitas doenças. Seu potencial funcional é devido à presença de flavonóides e catequinas. Principais propriedades: aumento do gasto energético, efeito termogênico, promoção da oxidação de gorduras, melhora na resistência física e proteção contra danos oxidativos causado pelo exercício. Seus principais compostos: epigalocatequina galato, epicatequina galato, galocatequina e epigalocatequina.

- Ômega-3: Pode-se dizer que é funcional, pois sua ingestão auxilia na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos.  O consumo de Ômega-3 sob a forma de EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosaexaenoico) na proporção de 2:1 estão relacionados na modulação dos efeitos inflamatórios do exercício e nas doenças. Além disso, também pode amenizar frequentes lesões musculares causadas por atividade física intensa e efeito vasodilatador melhorando o fluxo de oxigênio e nutrientes para os tecidos. Os peixes de água salgada, como salmão, sardinha, arenque, atum, são fontes alimentares de Ômega- 3, pois se alimentam de algas que possuem EPA e DHA na sua composição.

- Linhaça: O consumo desta semente está voltado para a prevenção de dislipidemias por auxiliar na redução do colesterol. Além disso, também participa da regulação hormonal em mulheres e auxilia nos casos de constipação. A semente contém vitaminas do complexo B, C e E, minerais como o ferro, zinco, potássio, magnésio, fósforo e cálcio, ácido graxo ômega-3, lignanas (fitoesteróides) e fibras solúveis e insolúveis (lignina).

- Café: Principal fonte alimentar de cafeína. Alguns estudos sugerem que a cafeína isolada tem propriedades de melhorar o desempenho físico, aumento da termogênese e da oxidação de lipídeos. No entanto, o consumo de café no início e durante a corrida pode aumentar a incidência de flatulência e refluxo. Isso comprova que o importante é cuidar a quantidade e o momento certo para o consumo de um alimento para que não perca a sua funcionalidade.